Grupo Conserpa Enger

Ambientes acessíveis para pessoas com necessidades especiais

cadeirantes_life_mulher_felizQuando se tem alguma pessoa com necessidade especial na família, ou mesmo quando pensamos em nosso envelhecimento ou de nossos parentes, é necessário fazer readaptações no lar. O local deve ter facilidades, que proporcionem maior conforto, acessibilidade e autonomia para seus habitantes. Esse é o modo mais simples de proporcionar maior qualidade de vida, mesmo diante de limitações.

Menos é mais

Quando trabalhamos a arquitetura de acessibilidade em um ambiente, a primeira coisa que pensamos é: menos é mais. Menos móveis e mais espaço é uma importante premissa para garantir que o portador de deficiência ou o idoso tenha mais mobilidade e independência em casa, o que ajuda, inclusive, a recuperar a autoconfiança e autoestima dessas pessoas.

Corredores e portas largas

Para que as pessoas com mobilidade reduzida possam se locomover com segurança e praticidade, é preciso ter corredores largos, com barras de apoio, e ter portas maiores, para os cadeirantes. As maçanetas em formato de alavancas são melhores de manusear do que as em formato de bola, principalmente para as pessoas com limitação de movimentos.

A arquitetura de acessibilidade recomenda ainda que a disposição dos móveis seja feita de forma a garantir a perfeita circulação para cadeiras de roda ou andadores.

Iluminação e piso

Quanto mais claro o ambiente, mais a acessibilidade será facilitada. Investir em lâmpadas mais claras é importante para que as pessoas consigam perceber objetos pelo caminho e para auxiliar no manuseio dos equipamentos do ambiente.

Aplicar um piso derrapante principalmente em banheiros, cozinhas e áreas externas diminui, e muito, as chances de um escorregão. Tente eliminar também os desníveis e degraus. Substituí-los por rampas é uma ótima alternativa para deixar os ambientes mais acessíveis. Caso não seja possível eliminá-los, recomenda-se colocar corrimãos, fitas antiderrapantes, iluminação e guarda corpos.

Cama, cortinas e móveis

As camas tradicionais proporcionam uma acessibilidade melhor ao deficiente e ao idoso na hora de deitar do que as camas box, pois estas costumam ser mais altas, o que aumenta a dificuldade para dormir, sentar e levantar.

Ainda dentro da arquitetura de acessibilidade, as cortinas são acessórios que merecem atenção. As tradicionais, de pano, são mais fáceis de serem manuseadas do que as persianas, principalmente no abrir e fechar, já que demandam menos esforços.

Para que as pessoas em cadeiras de rodas ou apoiadas em bengalas consigam acessar com facilidade os armários de casa, é preciso instalá-los e adaptá-los em alturas mais baixas. Além disso, portas de correr e puxadores facilitam o manuseio.

Itens de segurança no banheiro

O banheiro é um dos locais que mais acontecem acidentes. Por isso, instalar barras de segurança é essencial para garantir a independência e a acessibilidade dos deficientes e idosos.

Outras mudanças recomendáveis no banheiro são a implementação de bancos articulados no box, para auxiliar quem não consegue tomar banho de pé; uma pequena elevação no vaso sanitário para facilitar o encaixe da cadeira de rodas ou mesmo o assentar e levantar de quem tem mobilidade mais reduzida; e espelhos com inclinação, para que o ângulo correto seja conquistado na hora da pessoa se olhar.

Fonte: Precon

Compartilhe: