Grupo Conserpa Enger

Dicas para comprar um apartamento na planta

Adquirir um imóvel próprio é um sonho de muitas pessoas, seja para fazer um investimento ou deixar de pagar aluguel. Para alcançar esse objetivo, uma das maneiras mais econômicas é comprar um apartamento ainda na planta, o que diminui os custos tanto com as mensalidades quanto com os gastos que você teria para cuidar do apartamento – já que você ainda não está morando nele. Veja algumas dicas para fazer esse investimento com segurança e aproveitar o melhor deste sonho.

 

Limite o financiamento

Além de precisar ter um grande valor para dar como entrada no apartamento, se você optar pelo financiamento, é importante que as parcelas sejam de um valor possível de pagar. O ideal é que as mensalidades não sejam superiores a 30% da renda, incluindo outros financiamentos já feitos e que ainda estão sendo pagos. Se essa é a sua situação, a capacidade fica reduzida, podendo colocar em risco sua saúde financeira.
Antes de assumir essa dívida ou até mesmo procurar pelos imóveis de seu interesse, faça simulações nos bancos de quanto você poderia pagar por mês e quanto estaria liberado para o financiamento. Isso evita que você perca tempo buscando por apartamentos que não poderá pagar depois.

Pesquise sobre a construtora

Um dos maiores problemas na hora de comprar um apartamento na planta é saber se aquele empreendimento realmente sairá do papel. Uma maneira de se proteger disso é consultando a reputação da empresa responsável pela construção, verificando se ela tem um bom histórico de conduta, sem atrasos na entrega e boa assistência aos compradores.
É válido também realizar uma consulta ao CNPJ da companhia, pois a partir dele, você terá acesso a diversas informações quanto a eficiência e o relacionamento dela com clientes, fornecedores e o governo. Veja aqui como realizar essa consulta.

Lembre-se: o preço pode mudar

Apesar das parcelas não sofrerem alteração devido aos juros, elas sofrem uma correção de acordo com o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC), uma espécie de índice de inflação específico para o setor da construção civil. Desta maneira, o valor inicial pode aumentar até o dia em que o imóvel ficar pronto, podendo chegar, no final da obra, a ficar 20% mais caro do que o preço inicial.
Quando a entrega atrasa, o valor continua sendo corrigido pelo INCC, mas essa situação pode ser revertida com uma ação judicial.

Guarde os documentos e propagandas

Caso algumas das promessas feitas no ato da venda não sejam concretizadas, você precisará de provas para exigir que os seus direitos sejam cumpridos. Por isso, guarde informativos, contratos e outros documentos referentes ao empreendimento e a tudo que foi oferecido no momento que você foi adquirir o imóvel.
Algumas construtoras chegam a oferecer móveis, eletrodomésticos ou até mesmo carros, mas depois não cumprem com o combinado. Em alguns casos, até a churrasqueira prometida não é entregue. Por isso, guarde todas essas informações e não se deixe levar pela animação do momento.

Fonte: http://www.portaldailha.com.br/

Compartilhe: