Grupo Conserpa Enger

Especialistas apostam na retomada do mercado imobiliário em 2016

panorama-expectativa-2016-zapproCertamente você ouviu a palavra crise centenas de vezes ao longo de 2015. Mas em 2016, ela ainda será uma palavra com presença no nosso cotidiano? O setor da construção civil sentiu os efeitos do cenário econômico este ano e busca saídas para encarar 2016 com menores impactos. Na Bahia, o ano deve fechar com a venda de 7 mil unidades imobiliárias – patamar próximo do que ocorreu em 2014.

O CORREIO Imóveis ouviu especialistas e representantes do setor que indicaram as perspectivas para o próximo ano. O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA), Luciano Muricy, acredita que 2016 será o ano da retomada do crescimento do mercado, especialmente em Salvador.

“O principal desafio é a solução das crises econômica e política no país que levaram ao desaquecimento da economia, gerando desemprego e inflação. A aprovação do novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) na capital baiana pode ajudar o setor a superar este difícil momento”, ressalta.

Um dos imóveis vendidos foi para a família de Augusto Sampaio. “Confesso que demoramos um pouco mais do que planejamos para fechar a compra. Tínhamos a ideia de compar em abril, mas acabamos comprando em setembro deste ano. Apesar do ano difícil, conseguimos o financiamento”, explica.

A situação indicada por Augusto foi um dos grandes problemas do setor este ano. “Faltou oferta de crédito nos bancos para fechar negócios”, opina Vera Dias, corretora de imóveis.  Em todo país, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), entre janeiro e outubro, foram destinados R$ 66,7 bilhões para a aquisição e a construção de imóveis, resultado 28,4% menor do que o mesmo período do ano passado.

Em 12 meses, até outubro, de acordo com a Abecip, o montante de empréstimos para aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas de poupança do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) foi de R$ 86,3 bilhões. O valor representa uma redução de 24,1% em relação aos 12 meses anteriores.

Fonte: Obra 24 horas

Compartilhe: